Os 18 anos de Pokémon!

GeraçõesPokémon é uma série mundialmente conhecida e mais do que isso é uma verdadeira mina de dinheiro para a nintendo, e de diversão para nós gamers. As pessoas em geral conhecem a série graças a seu animê que também é um sucesso devastador e que trás Pikachu como um protagonista fazendo dele o pokémon mais conhecido do mundo! Porém a estória de pokémon se estende muito além de um animê de sucesso pokémon é um verdadeiro fenômeno da cultura pop. Até hoje são mais de 686 pokémons e o número só tende a crescer com a chegada de mais uma vindoura geração. Pokémon é a segunda série de jogos mais vendida do mundo, só perdendo para Mario, possuindo diversos produtos, além do animê, como: TCG (Training Card Game), brinquedos, roupas, mangás, etc… A série este ano completa 18 anos, a idade da maioridade, e eu me lembro como se fosse ontem de como a conheci! Vamos fazer uma viagem no tempo nesses 18 anos de pokémon, peguem a pipoca se tiverem disposição.

O inicio

Tajiri&Sugimori pokémonReza a lenda que uma criança chamada Satoshi Tajiri, que crescia no bairro rural de Machida em Tokyo, colecionava insetos (especialmente besouros) e com sua fértil imaginação imaginava batalhas entre eles, o garoto queria ser até um entomologista (estudiosos de insetos), na escola Taijiri sofria bullying dos estudantes, era chamado de Senhor Inseto. Continuando com a lenda,  o distrito rural em que vivia foi se urbanizando e acabando com as áreas verdes da região, dificultando o acesso aos preciosos insetos, do senhor inseto. Tajiri então se tornou um garoto da cidade viciado em video-games, mas sempre na cabeça a lembrança de como era divertido capturar insetos e imaginar as batalhas deles. O garoto era tão compulsivo com os video-games que parou de ir a escola e consequentemente não se formou… E ainda dizem por ai que não estudar não da futuro. Pois bem continuando a história de Tajiri o garoto se formou em uma escola técnica e passou a escrever para a revista Game Freak, uma revista de games onde ele conheceu Ken Sugimori, que virou seu grande amigo. Ken e Satoshi começaram a notar que o mercado de games estava sofrendo de uma falta de qualidade, e graças a esse padrão de qualidade dos dois, eles decidiram fazer seus próprios jogos, promovendo a Game Freak de revista para uma produtora de jogos. No início dos anos 90, surgiu o Game Boy e Tajiri viu no console um potencial para desenvolver a ideia que permaneceu na sua cabeça durante a infância, já que imaginou “e se pudermos conectá-lo a outro Game Boy?” criando assim o conceito de conectividade do console. Com isso Tajiri foi trabalhar na série Zelda e lá a Nintendo começou a considerar a ideia do jogo de Tajiri, vendo o potencial do rapaz na área de programação e com uma mãozinha de ninguém menos que Shigeru Miyamoto (simplesmente criador de Mario), Tajiri junto com Sugimori, que fez a arte dos primeiros 151 pokémons, e depois de seis anos na produção a falida Game Freak conseguiu produzir Red & Green, porém só faltava o projeto ser aprovado e assim Tajiri foi trabalhar em alguns outros jogos para conseguir a aprovação da Nintendo (trabalhou em Mario & Wario em sua versão japonesa). Por fim mais um obstáculo cercou Tajiri: o GameBoy não andava bem das pernas e era dado como um console morto. Porém o senhor inseto conseguiu convencer a Nintendo a distribuir o jogo, e a Nintendo fez uma aposta, foi como entrar em um cassino com 2R$ e sair com 100 mil R$, porque a série reviveu as vendas da nintendo que estavam em baixa. Foi assim que saiu a primeira geração de pokémon com Pokémon Red & Green. A série desde então sempre publica dois jogos, com pokémons diferentes entre elas para promover a conectividade entre os consoles, chegou a hora de conhecer as gerações da série!

O decorrer da série

A primeira geração: a geração das cores! (R/G/B/Y/Stadium)

1GENA primeira geração sem dúvidas foi o MARCO da história de pokémon, não só por ser a primeira, mas por apresentar elementos que realmente eram novidade na época em relação aos RPGs, como a evolução dos membros de sua party e o fato de você controlar terceiros (os pokémons) para alcançar seus objetivos, isso mantendo claro as características principais de um RPG. O jogo conta a história de um garoto chamado Red que sai de casa rumo ao objetivo de catalogar todos os 151 pokémons daquela região , no caminho ele derrota a equipe rocket e acaba se tornando o campeão de Indigo Plateau. Um fato curioso é que até então a Nintendo não sabia da existência de Mew que Tajiri tinha incluído no jogo e o fato de ter um pokémon secreto atraiu bastante a curiosidade dos jogadores, além disso os glitches do caminhão e Missigno ficaram bastante conhecidos nessa época lançando altas lendas entre os gamers. Essa geração foi lançada em 1995 no Japão para o Game Boy e um ano depois uma edição especial chamada de Pokémon Blue foi lançada e comercializada mundialmente, deixando a versão Green apenas para os japoneses. Essa geração fez tanto sucesso que em 2009 apareceu no livro dos recordes (Guiness Book) como o RPG mais vendido do GBA e da história. O sucesso é tremendo, que este jogo foi o gatilho para o animê o personagem principal Ash, é baseado claramente no visual de Red e possuí o nome de Satoshi, coincidência com o nome de Taijiri? Mas é claro que nã0! Graças ao sucesso saiu para N64 o jogo Pokémon Stadium que permitia você poder usar os seus pokémons do seu Game Boy, do seu save, no jogo em 3D, outra incrível inovação da Nintendo na área. Ainda nesta geração em homenagem ao animê surgiu Pokémon Yellow para Game Boy Color! Um jogo semelhante a Red & Blue, porém com elementos do animê, como Pikachu ser o pokémon inicial e a presença de Jessie, James, Joy e Jenny no jogo e assim iniciando o costume de ser lançado uma terceira versão dos jogos. Foi com este título que eu conheci Pokémon, já que eu só via o comercial e o desenho nunca tinha me interessado, até jogar emulado em um PC velho que nem tinha força para gerar as cores do Game Boy Color e eu ficava ANOS preso no Mt. Moon. Os jogos eram visivelmente limitados tecnicamente falando e pouco variados (em relação ao número de golpes e tipos), mas não eram ruins e cumpriam seu papel na hora de divertir a galera, afinal de contas se não tivessem cumprido este papel a série não estaria onde está hoje. Por isso um viva a primeira geração a geração das cores!

A segunda geração: geração metálica (G/S/C/Stadium 2)

2genLançada em 1999 no Japão a segunda geração trouxe algumas inovações a série, como o sistema de dia e noite, felicidade dos pokémons, o breed que é um jeito sexy, sensual e molhadinho de dizer que os pokémons cruzam e colocam ovos, os pokémons poderem segurar certos itens agora (as populares Berrys), os pokémons Shiny, além de dois tipos novos de pokémons, 100 espécies novas e mais uma série de golpes. Foi desse jeito que veio Gold & Silver, duas versões do jogo que apresentavam na capa Ho-oh e Lugia dois pokémons lendários da região. Aqui a história e a dificuldade do jogo são incrementadas, te dando desafios que vão além de chegar até a Elite 4 e ser campeão de Johto. A história do jogo se passa três anos após os eventos de Red & Blue e é popularmente conhecido como Gold (Ethan), no jogo ao ir buscar o pokémon inicial, um menino que se chama Silver e é o filho do principal vilão de Kanto. Silver rouba um outro pokémon inicial e uma caçada se inicia ao garoto com isso Gold também precisa descobrir os mistérios de Johto e vencer a nova Elite 4 e uma nova Equipe Rocket. Mesmo depois finalizar a liga de Johto, o desafio se volta para Kanto onde você deve revisitar o continente e ver o que mudou nos três anos que se passaram, isso sem contar que você também deve encarar os líderes de ginásio da região! Ao final do jogo você enfrenta Red o protagonista da primeira geração em uma batalha épica! Essa geração é a mais popular para PvP já que ela é mais variada que a primeira e tem menos complicações em termos de batalha que a terceira (como Effort e Individual values, etc). A geração também premiou o N64 com Pokémon Stadium 2 que segue os mesmos passos do primeiro jogo e com as variedades introduzidas! Por fim em 2000 foi lançado o terceiro jogo da segunda geração: Crystal, trazendo Suicune na capa e este também foi o primeiro jogo que eu joguei no console, realmente espetacular. Pokémon Crystal não trazia uma história diferente como Yellow, mas trazia alguns elementos novos como os Move Tutors e poder escolher o sexo do seu personagem principal (que pode ser Gold ou Crys). Falando tecnicamente a geração deu um salto enorme, os pokémons estão mais detalhados e o melhor estão com cores mais vivas e variadas, antigamente os pokémons só tinham uma cor e aqui com a inovação do Game Boy Color as cores foram melhoradas. Além disso as sprites também estão melhores e os sons que para mim são um ponto fraco da série continuam uma porcaria! Mas fora isso os jogos divertem mais do que os da primeira geração e realmente dão o suplemento que a série precisava, hoje é muito presente em celulares, afinal de contas, quem precisa de um Game Boy Color, quando seu celular pode reproduzir praticamente tudo?

A terceira geração: geração das pedras preciosas, e dos remakes (R/S/FR/LG/E/Colosseum/XD)

3GENA Nintendo lançou seu terceiro console portátil o Game Boy Advanced e claro não poderia faltar jogos da série Pokémon para o novo console, então em 2002, três anos após o lançamento de Gold & Silver foram lançados Ruby & Sapphire. Uma série EXCELENTE diga-se de passagem já que Ruby foi um dos jogos mais vendidos do console! A série incluiu novos 135 pokémons, novos golpes e novos elementos a série como: abilities, natures, pokémon contests, EV e IV, as Ribbons e as batalhas duplas, além de incluir o Trainner Card um novo desafio no jogo! O jogo também nos apresentava a região de Hoenn e como história você podia escolher entre Brendan e May dois treinadores jovens que devem fazer o de sempre, catalogar os pokémons da região enquanto detona todos os lideres de ginásio e a Elite 4. Conhecemos também a Equipe Magma (em Ruby) e a Equipe Aqua (em Sapphire) que tem planos audaciosos tipo dominar o mundo, o que não é nem um pouco clichê, convenhamos😛. Como de costume a Nintendo também lançou para seu console de mesa, Game Cube, um jogo da série: Pokémon Colosseum, sem dúvidas um dos mais fantásticos títulos da série que mistura a exploração de pokémon em gráficos 3D com as batalhas que são muito mais realísticas. O jogo também tem uma história muito boa e sinceramente a melhor que eu já vi. O jogo conta a história do jovem Wes um integrante do time Snagrem que representa o lado bom da história e combate o time Cipher que corrompe o coração dos pokémons e os transforma em Shadow Pokémons. O jogo é um dos poucos que salvam na biblioteca de games do Nintendo Game Cube e seu relativo sucesso o fizeram ganhar uma sequência, em 2005, intitulada Pokémon XD: Gale of Darkness. Em 2004, outro marco para a terceira geração: os remakes de Red e Green são lançados com Fire Red & Leaf Green (clique aqui para encontrar um detonado do jogo), que são dois jogaços, já que misturam os elementos da primeira geração e inclui os da terceira geração além de incluírem um desafio extra ao jogo com as Sevii Islands! Por fim para fechar a terceira geração foi lançado o melhor jogo da própria e o mais vendido do Game Boy Advanced, Pokémon Emerald, trazendo o poderoso Rayquaza na capa, o jogo combinava as histórias de Ruby e Sapphire, já que no jogo você enfrentava as equipes Aqua e Magma ao mesmo tempo e tem algumas alterações na história em relação a Ruby & Sapphire. Foi incluído um novo desafio ao jogo a Battle Frontier que são desafios parecidos com as batalhas de ginásio, porém que exigiam um pouco mais de paciência! O jogo foi um sucesso e sem duvidas é um dos marcos a pokémon já que a terceira geração e é o jogo mais completo de Pokémon desta geração… Esta geração foi onde eu fechei pela primeira vez um jogo de Pokémon através do emulador, foi com ela que tive mais contato e é sem dúvidas a minha preferida. 

A quarta geração: geração das jóias, com mais remakes (D/P/Pt/HG/HS)

4GEN

A terceira geração teve fim e deixou um bom legado, então chegou o Nintendo DS, um console portátil e mais um trunfo da Nintendo já que o DS era cheio de parafernálias (giroscópio, microfone e touch screen). Pokémon entrou na onda do DS com o lançamento da quarta geração, chegavam as lojas Diamond & Pearl e claro mais novidades a série, adivinhem, mais pokémons e mais golpes. Dessa vez também foi incluso uma especificação aos golpes físicos e especiais, já que não fazia sentido o golpe Fire Punch ser especial só porque o tipo Fogo (Fire) é especial, assim como o Hyper Beam ser físico só porque o tipo Normal era físico, essa bagunça foi ajeitada. Eles incluíram também o Poketech, um relógio cheio de aplicativos que eram uma espécie de sidequest do jogo! Além disso o sistema de dia e noite foi atualizado e agora certos eventos aconteciam de acordo com o dia da semana (o DS é sincronizado a um relógio) e a hora do dia, e os pokémons mudam de forma de acordo com o item que seguram, e não posso me esquecer da conectividade, já que você pode importar seus pokémons da geração anterior via Pal Park. Aqui há uma notável visão do desgaste no setor criativo da série, vemos alguns pokémons ridículos como um favo de mel, um sino, uma corrente elétrica que vira eletrodomésticos, e o mais incrível um balão, isso sem contar que a história segue as mesmas linhas da terceira geração, o que muda? É uma equipe nova, em um continente novo, tentando dominar o mundo através de outros pokémons lendários o que realmente chega a cansar qualquer um. O novo continente é muito bom de ser explorado, isso é um ponto forte já que Sinnoh é dividido no meio  por uma montanha que também é um dos focos principais da história do jogo! Como de costume uma terceira versão foi lançada Platinum saiu dois anos depois de Diamond e Pearl, porém Platinum não apresentou nada de novo a série, apenas repetiu o que Emerald fez, umas atualizações, um lugar novo, umas mudanças aqui, uns tererecos ali e Battle Frontier… Como o DS ainda estava estourando e Pokémon fazendo sucesso, a Nintendo não podia deixar ninguém na seca de Pokémon e para cumprir uma lacuna lançou remakes da segunda geração Heart Gold & Soul Silver imitam algo visto antes em Yellow, seu pokémon segue você de fora da Pokébola e fora isso é como os jogos da segunda geração com a mesma dinâmica, porém com os elementos novos da quarta geração e umas repaginadas. De novo, novo mesmo não teve nada. A quarta geração terminou, e na minha opinião ela pode ficar no passado, acrescentou pouca coisa e não teve uma significância tão grande assim para a minha geração, talvez os mais novos curtam, mas eu não curti!

A quinta geração: preto e branco (B/W/B2/W2)

GEN5Eu não sou tão fã da Nintendo quanto pareço ser, eu apenas reconheço que com os limões que a vida da a Nintendo faz Megazords e um desses “Megazords” foi o Nintendo DS, o console durou tanto e é tão bom que a Nintendo teve que acabar com a tradição de lançar uma geração por console e acabou lançando a quinta geração com Black & White que esses sim trouxeram algumas novidades relevantes a série, as coisas implementadas foram: mais 156 pokémons, o C-Gear, o Pokémon Musical substituindo os Contests, estações do ano agora foram incluídas ao jogo, batalhas triplas e batalhas em rotação, ou seja, agora as variedades em Pokémon são enormes, é impossível reclamar que o jogo é pouco variado. Além disso a história é mais desenvolvida, ela segue a mesma linha dos anteriores, controlando Hilda ou Hilbert, mas o objetivo do Team Plasma os vilões aqui, não é megalomaníaco e sim “humanitário” já que o plano deles é separar os humanos dos pokémons, já que julgam que os humanos prejudicam os pokémons. Mas claro que esse motivo é uma faxada para algo maior que deixo para vocês descobrirem jogando. Embora eu já esteja cansado de Pokémon, considero Black & White melhores que Diamond & Pearl, o jogo é menos cansativo, e muito mais competitivo que os da geração anterior, fazendo com que eu passasse a ver a série de novo com bons olhos. A quinta geração é uma geração que rompe tradições LITERALMENTE, além de lançar duas gerações em um mesmo console, esta geração não tem um popular terceiro jogo (que seria Pokémon Gray), mas possuí sequências diretas. Isso mesmo, dois anos depois foram lançados Black & White 2 uma continuação direta que também se passa dois anos depois de Black & White, o jogo mostra a região de Unova mudada, com novos líderes de ginásio (inclusive personagens antigos) e um novo campeão, além é claro de você controlar personagens diferentes (Nate ou Rosa). o objetivo do jogo ainda é o mesmo e aqui nós enfrentaremos os remanescentes do Team Plasma que não foi destruído no primeiro jogo e pretende dessa vez usar outro Pokémon para atingir seus objetivos. Black & White 2 foi um sucesso de vendas e crítica e faz jus a isso já que são jogos muito bons, sem dúvidas os melhores para DS, vale a pena conferir e perder uma graninha só para testá-los, embora eu claro já não seja mais tão fã da série quanto era antes. A única coisa notável e nova deste jogo é o Pokémon World Tournament onde você pode lutar contra TODOS OS LÍDERES DE GINÁSIO E CAMPEÕES de todas as regiões, ou seja, um desafio e tanto BEM MELHOR que Battle Tower ou Battle Frontier. A quinta geração se encerrou já que o DS parou para Pokémon, mas o sucesso não acabou e é o que veremos a seguir!

O futuro da série

GEN6Recentemente foi anunciada a sexta geração de pokémon, a geração das letras com Pokémon X & Y, só foram apresentados os pokémons iniciais e dois lendários. A série vai inovar bastante já que vai ser o primeiro pokémon em console portátil a ser 3D, ou seja agora a câmera ficara no chão na altura do corpo do personagem e não mais no topo, você terá uma ambientação mais ampla e detalhada. O novo continente é baseado na França e o jogo promete bastante já que vem para o poderoso Nintendo 3DS! Além disso faz tempo que a Nintendo não lança um Pokémon para o console de mesa e portanto é bom ficar atento a um jogo da série para o Wii U já que o console também é inovador e a série merece uma chance no console! Espero ver também alguns spin-offs já que a série Mystery Dunegon é bastante badalada, justamente por ser inovada. É claro que vamos ver uma queda na criatividade e os novos pokémons podem não agradar, já que faz tempos que Tajiri não é o principal idealizador da série (hoje ele é supervisor), mas eu peço que não desanimem, porque Pokémon é como a Nintendo, pode parecer morto, afogado e tudo mais, só que do nada aparece com uma novidade que faz os fãs da série se interessarem novamente e correrem atrás… Pokémon é uma franquia da Nintendo e acredite as franquias da Nintendo só cairão quando a Nintendo cair!

Outros jogos

São muitos os outros jogos de Pokémon, acredite. A série principal se desmembra em algumas outras séries que vou tentar destacar aqui, mas é claro não da para falar 100% de tudo, porque eu não joguei todos os jogos então só posso dar uma pincelada básica, até porque é mais para vocês quererem conhecer por si próprios do que quiserem uma coisa já “mastigada”

Mystery Dungeon

MDÉ a maior série spin off de Pokémon, os jogos no geral tem histórias muito boas e perspicazes, que te levam ao mundo pokémon de uma forma nunca antes vista, agora os pokémons são o foco principal. Não há treinadores para controlá-los, apenas pokémons ajudando outros pokémons é mais ou menos assim que se tratam os jogos de Mystery Dungeon. O primeiro jogo da série é Red Rescue Team & Blue Rescue Team (clique aqui para ver um detonado), o engraçado é que um jogo é para DS e o outro é para GBA. O jogo no começo é muito diferente, mas prende o jogador por ter uma história sólida e uma jogabilidade que ajuda muito, fora que o pós-jogo é muito interessante. O jogo foi um sucesso de vendas e claro como nós sabemos não há burrice entre os membros do setor de criação da Nintendo, não ia demorar para sair mais jogos dessa série. Foi então que fomos presenteados com Mystery Dungeon: Explorers of Time & Explorers of Darkness que trouxe uma história BEM maior que o jogo anterior e com elementos mais complexos como viagem no tempo, além disso o jogo trouxe uma inovação que é o fato de um time agora poder ter mais de 4 membros, e você poder ter mais de um time, assim você pode enviar o time de reserva para ajudar um amigo seu via Wi-fi. Uma terceira versão para esse jogo foi lançada chamada de Mystery Dugeon: Explorers of Sky, que funciona como um Emerald / Platinum nessa série. Os três jogos são para DS e como eu nunca joguei, só posso dizer que eles parecem ser excelentes, mas parecer não é ser… A série contou com mais três jogos que só foram lançados no Japão e para Wii, os nomes dos jogos para quem quiser dar uma pesquisada são Pokémon Mystery Dungeon: Blazing Adventure Squad,  Stormy Adventure Squad & Light Adventure Squad que são jogos que eu realmente tenho muito pouca informação disponível, e não consegui extrair nada de útil, esse é realmente para vocês que querem jogar todos, pois eu não tenho a minima pretensão de jogar estes. Por fim em 2013, vai sair para 3DS, Mystery Dungeon: Gates to Infinity que claro promete diversão ao cubo para quem jogá-lo, afinal de contas em 3D, só podemos esperar o melhor e o jogo trás atualizações que vão fazer você se fixar mais ainda na jogabilidade.

TCG

TCG3Eu realmente era viciado nessas cartinhas, acreditem o jogo em si de cartas eu joguei poucas vezes, porque eu nunca tive a paciência necessária. O que eu mais fazia mesmo era roubar as cartas e trocar as cartas roubadas com quem eu as roubei (!), já perdi amizades por causa dessas cartas e elas realmente giraram muito na minha vida. Eu comprava os semi-decks quando estavam na geração de Ruby e Sapphire e só faltou comprar o semi-deck da Kirlia. Mas não estou aqui para falar do jogo em si que é muito simples, estou aqui para falar que o TCG foi levado aos portáteis duas vezes, uma no Game Boy Color com o nome de Pokémon Trading Card Game, em uma versão que eu já joguei e é realmente uma boa pedida para se aprender como jogava, pelo menos, como se jogava antigamente já que o jogo mudou muito de lá para cá. Além disso o jogo conta quase a mesma história dos jogos com os bichos reais, você deve vencer batalhas de ginásio, no jogo chamados de Clubs e vencer a Elite 4, no jogo chamados de Masters. Claro que cada vitória sua você ganha uma carta e ao final ganha as cartas dos pokémons lendários, por assim dizer. O jogo ganhou uma sequência que infelizmente não foi lançada aqui chamada de Pokémon Card GB2: Here Comes Team GR! que como toda sequência deu uma melhorada no primeiro jogo, mas não se compara a ele em qualidade, uma coisa estranha é que mesmo lançados para o mesmo console não é possível conectar a sequência com o primeiro jogo, de modo que você não pode importar seu deck para o segundo jogo. A série não avançou muito, tendo em vista que o jogo de cartas não é tão popular quanto era antes, perdendo espaço para outros TCG como Magic ou Yu-gi-Oh!

Pinball

PinballSTalvez o spin-off mais simples e ao mesmo tempo o mais divertido, jogos de Pinball prendem você por horas acredite! E se misturar com Pokémon? É ai que você não vai largar o Game Boy Color com Pokémon Pinball meu amigo… O objetivo é capturar todos os pokémons, no jogo é possível evoluir os pokémons e até mesmo pegá-los, como? Descubra e me conte, isso se você não ficar viciado! A tônica de misturar dois estilos de jogo COMPLETAMENTE diferentes fala por si só e trás um jogo diferente e divertido que inova nas duas categorias. O jogo ganhou duas sequências a primeira intitulada Pokémon Pinball mini que era uma espécie de mini-game, claro não se compara a Pokémon Pinball, mas serve para distrair quando você não está com nada para fazer, ou quando tomou um pé na bunda da sua namorada… Em seguida foi lançado para Game Boy Advanced o terceiro game: Pokémon Pinball: Ruby & Sapphire pegando carona no sucesso dos jogos da série principal e adicionando os pokémons de Hoenn a série, e também novos modos e um upgrade nos gráficos, muito divertido também, uma pena a série não ter saído para o Nintendo DS, poderia ter rendido frutos já que faz o feijão com arroz de um jogo que é distrair.

Puzzle

Esse talvez seja o spin-off de pior qualidade, são dois jogos (na verdade são praticamente o mesmo jogo) um para N64 e outro para Game Boy Color. O jogo do Nintendo 64 é totalmente baseado no animê e essa é sua característica principal, fora isso o jogo também é o único Pokémon lançado apenas para o ocidente, já que o Nintendo 64 não é muito popular no Japão. Os jogos são jogos de Tetris, eu até gosto de Tetris, mas não vejo algo com muito desenvolvimento, entre Pinball e Tetris eu prefiro o Pinball, que é mais diversificado. Embora este ainda tenha suas qualidades e para quem é fã da série merece ser considerado. Caso queiram conferir são dois jogos aqui Pokémon Puzzle League para Nintendo 64 e Pokémon Puzzle Chalenge para Game Boy Color.

Ranger

Série RangerUma série um pouco mais sólida que as outras e que se aproxima mais da série principal. Em Pokémon Ranger ao invés de controlar um treinador pokémon, você controla um guarda pokémon, que devem resolver problemas ambientais, prender criminosos, etc. Os guardas meio que “alugam” os pokémons e não os capturam O jogo tem uma história parecida com as dos jogos da série principal (você enfrenta uma equipe maligna), mas sempre com suas diferenças, o que falta a Pokémon Ranger é a ação e um objetivo mais sólido que encontramos é claro na série principal, fora o PvP que é fator dominante. O segundo jogo da série Ranger se chama Pokémon Ranger: Shadow of Almia e segue a linha do primeiro jogo, apenas com uma história melhorada e mais oculta, fora isso não há muitas diferenças para o primeiro jogo. O jogo ganhou uma segunda sequência, já que o jogo é ruim para a critica, mas vende bastante. O terceiro jogo desta série spin-off se chama Pokémon Ranger: Guardian Signs este sim fez umas mudanças significantes incluindo um pós-game mais interessante, porém não tem uma história tão boa quanto o segundo (que já é criticado). É uma boa para quem quer jogar Pokémon sob uma outra perspectiva!

Rumble

Estes títulos são dois que eu menos conheço, pelo que pesquisei Pokémon Rumble, lançado na Wii Ware, para Wii é um jogo de Action RPG onde claro os pokémons são seus personagens principais e pelo que vi é parecido mais com um jogo de pancadaria / estratégia do que com um Action RPG.  O enredo do jogo envolve algo parecido com um mundo de pokémons brinquedo que ganharam vida através da Wonder Key, o pokémon do jogador deve vencer os desafios para se tornar o mais forte do Battle Royale (o principal aritificio de diversão do jogo). A crítica deu uma nota 6 para o jogo, como eu não joguei não posso concordar, nem discordar. Além de Pokémon Rumble, foi lançada uma sequência para DS: Pokémon Rumble Blast que é BEM mais completo que a versão de Wii, uma vez também que a versão de Wii é só um pequeno divertimento. Pokémon Rumble Blast tem uma história melhorada, atributos melhorados, enfim foi um verdadeiro upgrade! Eu não conheço os títulos, mas se tratando de pokémon, podem esperar bastante diversão…

Pikachu

PikachuSPikachu é certamente o pokémon mais famoso do mundo, é destaque no animê, tem uma série própria de curtas que passam antes dos filmes, vários bichinhos de pelúcia e como se não bastasse o rato elétrico tem uma parte spin-off dentro dos jogos de Pokémon. Para vocês verem como Pokémon é, apenas UM pokémon gera um lucro escandaloso que deve pagar minha casa, e a sua de tanto dinheiro que o bicho rende a Nintendo. Tudo começou com Hey You, Pikachu! um jogo com uma proposta inovadora: controlar pokémon através de um acessório do N64, semelhante a um microfone, você falava Pikachu, THUNDERBOLT NOW, e o rato mandava um choque elétrico, é simplesmente genial, claro que às vezes o comando falhava (ele entendia 200 palavras) e Pikachu ficava com cara de taxo sem saber o que fazer, mas é inovador e merecia um remake com mais variação. Uma coisa legal é que se você falasse Playstation para Pikachu ele tentava te atacar KKKKK. O jogo tem uma história e uma mecânica visivelmente desenvolvida para o público mais infantil, fazendo do jogo uma experiência razoável, da até para rir um pouquinho. O rato elétrico ganhou um segundo jogo: Pokémon Channel, chamado no Japão de  Pokémon Channel ~Together With Pikachu!~. No jogo você controla um treinador e seu Pikachu que devem ajudar o Professor Oak, através de programas na tv e explorando a cidade do jogo. Uma coisa MUITO interessante é que o jogo é jogado em tempo real e certos programas só vão aparecer em certos dias da semana… Depois disso saíram dois jogos para Wii: PokéPark Wii: Pikachu’s Adventure  onde você se aventura com Pikachu e deve jogar vários mini-games para se tornar amigo dos Pokémons; e PokéPark 2: Wonders Beyond, que é a sequência direta do outro, mas dessa vez com mais pokémons… O ratinho elétrico está com tudo e não está prosa, mas eu particularmente não me encanto com as séries desse Pokémon, talvez se fosse o Dusclops o principal:/

Snap

Lançada para para Nintendo 64, Pokémon Snap é um outro jeito de encarar o mundo pokémon. Na verdade este foi o primeiro jogo de Pokémon que joguei no N64. No jogo você controla um fotógrafo pokémon que quer tirar uma foto de um pokémon, só que ele escolheu o pokémon mais esguio possível: Mew! Então você atravessa uma série de locais tirando foto e interagindo com vários outros pokémons. O jogo é bom, porém é curto e realmente enjoa muito fácil, mas vale a pena conferir, são bonitos os cenários apresentados e a interação entre os pokémons e com os pokémons!

É o fim eu falei de praticamente TUDO, não pensei que fosse conseguir, mas enfim. Fire Red & Leaf Green estão aumentando bastante os patamares do blog e é o mínimo que eu poderia fazer por uma série que faz e fez parte da vida de muita gente. Este artigo é uma homenagem a quem se deliciava nas tardes assistindo ao desenho no CN, ou para quem perdia noites jogando no emulador, para quem queria ter a melhor equipe no PvP, enfim é feito de um cara que nem é mais tão fã assim, para outros que podem ser mais ou menos fãs que eu! Obrigado😀

Thel assinatura

Publicado em 28 de janeiro de 2013, em Especiais e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 8 Comentários.

  1. voces deviam fazer um detonado do pokemon x y

    Curtir

  2. Tem como conectar dois emuladores, em diferentes pcs, para poder batalhar ou trocar pokemons?

    Curtir

  3. Parabéns pelo artigo. Muito bom. Comecei a jogar o Fire Red esses dias atrás e, por consequência achei seu detonado. Agora sei o que jogar depois.

    Curtir

  4. Cara você falou mal do pokémon balão mas não falou mal do pokémon pokébola eletrica nervosa(Voltorb) a primeira existe varios pokés ridiculos

    Curtir

    • Se não sabe Voltorb é um pokémon artificial, tem explicação para ser uma bola!

      Curtir

    • Matheus C. Sardinha

      Sem levar em conta que um dos usos do Voltorb é confundir o jogador na Power Plaint, coisa que é interessante ser “enganado” pelo jogo, ou seja ele parecer uma pokébola tem motivos.. O balão foi pura falta de imaginação mesmo!

      Curtir

  5. thel você não gostou da 4 gen,kkkkkkkkkkkkkkkkk, enfim meu 3ds esperando o pokemon y, nunca joguei um spin-off da série ( eu gostei da 4 gen)

    Curtir

Antes de Comentar, Veja se sua dúvida já não foi respondida!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: